As festividades de final de ano e o luto

Psicologia
27. dezembro .2017

As festividades de final de ano e o luto

Final do ano, época de festividades e reuniões familiares. Mas, e se suas emoções e sentimentos estão na contramão desse clima? Como comemorar as festividades se você perdeu um ente querido?

Não há uma resposta única para essa pergunta, e talvez seja melhor assim. Isso porque esse é um processo individual, difícil de ser generalizado, porém, é importante você saber algumas coisas enquanto planeja seu final de ano, mesmo em meio a dor de ter perdido alguém:

  • Respeite os seus limites. Talvez você não esteja pronto (a) para participar de uma ceia ou reunião familiar porque a dor da falta do seu ente querido é muito grande. A ideia aqui é buscar fazer aquilo que você se sinta confortável em fazer: ir à ceia, não ir à ceia, ir mas voltar mais cedo se não estiver sentindo-se bem. Todas as opções são aceitáveis!
  • Busque compartilhar seus sentimentos e emoções nesse momento com alguém que você tenha vínculo. Claro, se você se sentir à vontade em fazer isso. Não é errado falar do seu ente querido que não está mais presente. Lembre-se: superar uma perda não é esquecer a pessoa que se foi, mas é um processo que te permita falar/lembrar sem tanta dor.
  • Permita-se sentir tristeza mesmo em meio às festividades, ela é uma reação comum a alguém enlutado, tentar disfarçar ou conter pode não ser o melhor caminho, pois a pressão por “estar bem” pode ser pesada e causar mais sofrimento.
  • Permita-se sentir alegria. Não precisa sentir-se mal ou culpado (a) se em meio ao processo de luto você tenha vontade de estar nas confraternizações. Ter momentos de leveza podem amenizar algumas emoções, não é errado aproveitá-las e isso não invalida o seu pesar.
  • O processo de luto não tem tempo pré-determinado para acontecer, de modo geral as primeiras datas comemorativas sem o ente querido podem ser singularmente difíceis. Esse processo é individual e o tempo que durará varia de pessoa para pessoa, se sentir necessário, busque ajuda profissional.
  • Se você se sente um pouco melhor em relação à perda do seu ente querido, não espere que as mesmas coisas que te ajudaram, também sirvam para os demais. Isso, às vezes, pode não acontecer. Seja empático, esteja lá para dar o apoio que conseguir sempre respeitando o processo de cada um.

Leia também: Como a família pode ajudar o paciente na finitude da vida?

Essas pontuações não servem como dicas ou regras e nem garantem que você se sinta bem e feliz o tempo todo, são apenas reflexões que podem te ajudar a decidir quais convites aceitar e/ou como lidar com o clima das festividades, mesmo que suas emoções pareçam estar na contramão delas.

Valencis Curitiba Hospice - Todos os direitos reservados ©2018