Terapias Integrativas: conheça seus benefícios

Cuidados Paliativos
29. março .2018

Terapias Integrativas: conheça seus benefícios

Mesmo com uma doença crônica incurável, existem formas de melhorar a qualidade de vida do paciente.

Terapias de diversos tipos têm ajudado pessoas a ter uma melhor qualidade de vida quando estas recebem um diagnóstico de uma doença crônica incurável. “O objetivo da terapia integrativa em cuidados paliativos é permitir que elas passem por esse processo com maior conforto, tranquilidade e aceitação, aliviando a dor e o sofrimento, tanto nos aspectos físicos como nos psicossociais e espirituais”, explica Katia Abonante, recreadora e artesã do Valencis Curitiba Hospice.

Diversos tipos de terapias podem ser associados aos cuidados paliativos. Conheça algumas delas e fique sabendo de suas vantagens.

TERAPIA OCUPACIONAL

Funciona por meio de atividades, técnicas e instrumentos que visam estimular a autonomia e a independência dos pacientes. “A técnica ajuda a expressar os sentimentos, melhorando sua autoestima, bem como diminuindo a dor e melhorando conforto físico e emocional”, explica Katia.

Algumas atividades aplicadas pela terapia ocupacional:

– Orientar e adaptar atividades para o autocuidado nas realizações de atividades de vida diárias, possibilitando maior independência funcional, graduando ou adaptando tarefas, resultando em diminuição do gasto energético;

– Adaptação do ambiente, com medidas que possam promover melhor desempenho ocupacional e funcional para o paciente;

– Orientação e prescrição de tecnologias assistivas, que favoreçam um melhor desempenho funcional;

– Realização de atividades terapêuticas lúdicas, corporais, expressivas, narrativas e artesanais, para elaborar reflexões, emoções, favorecer desempenho funcional, para treino de disfunções cognitivas e perceptivas, entre outras.

 TERAPIAS INTEGRATIVAS

“É importante entender que o ser humano é complexo e que possui aspectos energéticos que fazem parte do seu ser e que influenciam na melhora de sua condição. A abordagem das terapias orientais, como a Medicina Tradicional Chinesa, se dá nesse aspecto energético”, diz Manoela Scremin, acupunturista, do Valencis Curitiba Hospice. Alguns exemplos:

– Acupuntura: atua aliviando dores, melhorando o funcionamento digestivo, o sono, aspectos emocionais, ajudando o corpo a se equilibrar.

– Fitoterapia: o uso de ervas chinesas combinados à acupuntura traz resultados muito positivos. Pacientes em necessidades de cuidados paliativos estão muitas vezes com problemas de nutrição, perda de peso e apetite, dificuldades para dormir, baixa imunidade. “Usamos as ervas em forma de chá ou cápsulas para auxiliar nestas situações”, explica.

– Auriculoterapia: trabalha com pontos reflexos na orelha, estimulando partes ou funções do corpo.

– Aromaterapia: Há uma enorme quantidade de óleos para serem utilizados para inúmeras queixas. Óleo de lavanda é um excelente calmante, é cicatrizante e pode ser utilizado na pele, por exemplo.

– Meditação: proporciona estados de profunda calma e reconexão consigo mesmo.

– Reiki e Deeksha: são duas técnicas diferentes de imposição das mãos, na qual a pessoa que o aplica serve de canal de energia amorosa. Esta energia transmitida auxilia na recuperação de doenças de qualquer tipo, física, mental ou espiritual.

Recreação e Artes

Quem não gosta de um pouco de diversão? “Essas atividades permitem ao paciente e seus familiares momentos de lazer, de descontração e entretenimento. São momentos destinados aos exercícios de atividades lúdicas, artesanais, dinâmicas em grupo e de contato com a natureza que sejam de interesse do paciente e de seus familiares, promovendo diminuição do estresse, relaxamento e interação social”, comenta Katia Abonante.

No Valencis Curitiba Hospice, diversas opções de atividades de lazer são oferecidas, como pinturas em tela, construção de narrativas pessoais de vida através de relatos e fotos, decoupage, produção de pratos específicos, construção de artigos em feltro, composição de arranjos florais e o plantio, exercícios de relaxamento e de alongamento, patch colagem, bordados ponto cruz, jogo de bingo, dinâmicas em grupo, sessão cinema, leitura de livros, dança e movimento, entre outros.

Leia também: Como o hospice ajuda a família a encarar o momento de dor?

Fonte: Revista VIVER Curitiba

Valencis Curitiba Hospice - Todos os direitos reservados ©2018